Loading
Professores Eméritos

Nello de Moura Rangel

Nello de Moura Rangel nasce em Junho de 1909, em Passos (MG). Forma-se em Medicina Veterinária em São Paulo. Chegou em Viçosa em agosto de 1936, como professor de Anatomia Patológica, e trabalhou na Escola Superior de Agronomia e Veterinária de Agosto de 1936 a Dezembro de 1941.

Conforme extraído de seu discurso nas comemorações dos 35 anos da Escola de Veterinária, em 1967, cita: “cheguei a Viçosa em agosto de 1936, para ficar quatro meses, realmente lá fiquei os quatro meses, e mais cinco anos. E disto não me arrependo. Foram cinco anos felizes, ainda que de muito trabalho e de muito estudo. Aquele isolamento geográfico forçou o professor jovem e inexperiente de então a pagar tributo pesado ao autodidatismo. Mas a este esforço devo muito de minha carreira universitária. A vida na Escola era agradável. E amável a grata convivência dos colegas, dos alunos e amigos que lá fiz. Foram cinco anos felizes”.

Primeiro Professor a receber o título de emérito da UFMG, pela Escola de Veterinária, em 1975.
 

Francisco Megale

Francisco Megale, nascido em Viçosa, forma-se em Medicina Veterinária em 1939, na então Escola Superior de Agricultura e Veterinária (ESAV). Especialista em patologia clínica médica de animais domésticos, cumpriu uma trajetória invejável, no Brasil e no exterior, sendo considerado uma das maiores autoridades em sua área de especialização: Reprodução Animal.

Em 1955, obtém, na Universidade de Cornell, o título de Magister of Science, defendendo a tese Peritoneoscopia em Vacas. Conclui também, o curso de Medicina Veterinária e Patologia Animal, ministrado pela Universidade do Estado de Michigan, para estudantes pós-graduandos, em 1948 e 1949.

Após a graduação, o professor Megale trabalha como veterinário do Centro Agropecuário da Secretaria da Agricultura, na Fazenda-Escola de Florestal. A partir daí, atua como chefe do Serviço Veterinário do Clube Hípico de Belo Horizonte, responsável técnico do Instituto Mineiro de Aftosa, diretor do Departamento de Coordenação Zoossanitária da Sociedade Brasileira de Medicina Veterinária, pesquisador do Instituto de Pesquisas Veterinárias da Escola de Veterinária da UFMG, colaborador no Programa de Pesquisas sobre Fisiologia da Reprodução, da Universidade Estadual de Washington, nos EUA, e assessor/coordenador-geral da reestruturação da Faculdade Nacional de Medicina Veterinária José Benjamin Burela, de Santa Cruz de la Sierra , na Bolívia, além de outras atividades.

Como docente, atua na Fazenda-Escola de Florestal, na Escola de Especialização Veterinária da Secretaria da Agricultura de Minas, na Escola Superior de Veterinária do Estado de Minas Gerais, na Escola de Veterinária da UFMG, na Universidade de Cornell (EUA), na Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro e no Departamento de Veterinária da UFV, onde se aposentou.

Foi membro de diversas entidades científicas e de classe, como a Sociedade Mineira de Medicina Veterinária, Sociedade Brasileira de Medicina Veterinária, Associação Latino-Americana de Produção Animal e membro Ad perpetuum do Colégio Brasileiro de Reprodução Animal.

Em 1981, retorna à UFV como professor titular do Departamento de Veterinária, onde trabalha até se aposentar, em 12 de dezembro de 1990.

Recebeu o título de professor emérito da UFMG em 1988.

Faleceu, em Belo Horizonte, em 15 de julho de 1992, aos 78 anos de idade.

Homero Abílio Moreira

Nasceu em Belo Horizonte, Minas Gerais, em Maio de 1925. Em 1953 recebeu diploma de veterinária pela Escola Superior de Veterinária da Universidade Rural do Estado de Minas Gerais (UREMG). Durante seu percurso acadêmico, foi monitor da cadeira de Alimentação dos Animais Domésticos, passando a instrutor de ensino em 1954 e, posteriormente, Assistente de Ensino por concurso.

Foi professor adjunto do Departamento de Zootecnia da Escola de Veterinária da UFMG, na área de Nutrição Animal, onde cursou e concluiu a pós-graduação. Na Escola trouxe grandes contribuições à pesquisa e ensino, orientando ainda diversos pós-graduandos.

Em sua vida profissional, concomitantemente às atividades de magistério, pertenceu ao quadro de pesquisadores da UREMG, foi Diretor do Instituto de Zootecnia e, posteriormente, Chefe do Departamento de Produção Animal, ambos da Secretaria de Agricultura do Estado de Minas Gerais.

Recebeu o título de professor emérito da Escola de Veterinária da UFMG em 09 de Setembro de 1988, e em 1998, a Biblioteca da Embrapa Gado de Leite passou a denominar-se Biblioteca Prof. Homero Abílio Moreira, em homenagem ao professor.

Leônidas Machado Magalhães

Nasceu em Tocantins, MG, em 1916. Lá fez o curso primário, no Externato São Francisco de Assis, e concluiu o ginasial em Ubá, em 1932. Ingressou na Escola Superior de Agronomia e Veterinária em 1933, formando na segunda turma, em 1936. Logo depois de formado foi convidado para ser professor na Escola de Agronomia do Nordeste, em Areia, PB, onde começou em Março de 1937, lecionando zootecnia, noções de higiene veterinária e dando assistência na região. A convite da Escola de Viçosa, para lá se transferiu em 1941, ficando até 1942, quando houve a transferência para Belo Horizonte.

Foi diretor da Escola entre 1948 e 1951, e também assumiu a reitoria da UFMG com o afastamento do então reitor Gerson Boson, durante o regime militar. Destaca-se, neste período, seu discurso sobre a necessidade de se preservar a autonomia universitária. Empenhando-se na implantação de reformas que, grosso modo, teve como resultado o estabelecimento de diretrizes para a transformação em universidades, das então federações de faculdades e escolas.

Recebeu o título de professor emérito em 09 de Setembro de 1988.

Osmane Hipólito

Médico veterinário, graduado pela Escola Superior de Agricultura e Veterinária do Estado de Minas Gerais, com mestrado e doutorado pela Michigan State University.

Como professor, contribuiu decisivamente para o progresso da ciência veterinária no Brasil por meio de suas pesquisas na área de doenças infecto-contagiosas dos animais domésticos. Os seus trabalhos viabilizaram o desenvolvimento da avicultura brasileira, o que permitiu, nas últimas décadas, a exportação de frangos de corte e a disponibilidade de proteína de baixo custo para a alimentação das populações menos favorecidas.

Dentre suas pesquisas, destaca-se o primeiro isolamento do vírus da bronquite infecciosa das galinhas no Brasil.

Recebeu o título de professor emérito da UFMG em 09 de Setembro de 1988.

Roberto de Souza

Nasceu no município de Perdões, Minas Gerais, em Julho de 1915. Recebeu sua educação primária em escola particular, e a educação secundária no antigo Colégio Mineiro, em Belo Horizonte. Em 1934 ingressou na Escola Superior de Agricultura e Veterinária (ESAV), em Belo Horizonte, onde graduou-se em 1937.

Entre 1938 e 1940 foi veterinária do governo do Estado de Minas Gerais, e a partir de 1941 ingressou enquanto professor adjunto da ESAV nas disciplinas Terapêutica, Farmacodinâmica e Toxicologia.

Em 1951 começou seus estudos de mestrado na Cornell University, onde em 1952 tornou-se mestre em Fisiologia da Reprodução. Em 1956 foi aprovado no concurso de professor catedrático da cadeira de Farmacodinâmica, Terapêutica e Arte de Formular da Escola Superior de Veterinária da Universidade Rural do Estado de Minas Gerais.

Destacou-se na produção acadêmica e orientação de pesquisadores na Escola, trazendo grandes contribuições para ciência clínica veterinária, não só de animais de companhia como também de produção.

Recebeu o título de professor emérito da Escola de Veterinária da UFMG em 09 de Setembro de 1988.

Joaquim Martins Ferreira Neto

Graduado em Medicina Veterinária no ano de 1949 na Escola Superior de Agronomia e Veterinária de Minas Gerais (ESAVMG), foi professor Assistente da Escola logo no ano seguinte 1950 e instrutor do Hospital Veterinário em 1951. Foi professor das disciplinas Anatomia Patológica, Semiologia, Clínica de Pequenos Animais e Patologia Clínica. No ano de 1957, foi redator do programa “Agricultura e Pecuária” de “O Diário”.

Concluiu seu mestrado em 1958 na Cornell University (Ithaca, EUA), tornando-se Professor Adjunto da Escola de Veterinária no mesmo ano. Doutor em Higiene e Polícia Sanitária Animal e Veterinária Legal em 1963.

Na Escola de Veterinária cumpriu diversas funções, dentre elas a chefia do Departamento de Patologia, membro das Comissões de Regimento , Legislação e de Finanças da Escola, chefia do Departamento de Clínica e Cirurgia, Diretoria e vice-diretoria da Escola e do Hospital Veterinário, coordenação do curso de mestrado e membro do colegiado da pós-graduação, chefia do Centro de Pesquisas da Escola, além de editoria da revista Arquivo Brasileiro de Veterinária e Zootecnia. Em 1975, torna-se professor Titular do Departamento de Clínica e Cirurgia Veterinárias.

Na UFMG, foi membro do Conselho de Pós-graduação do Setor de Saúde, do Conselho Universitário, e participante e Consultor do Convênio PEAS-UFMG em 1982.

Ainda cumpriu diversas funções fora da Escola, tais quais membro da Comissão do Ministério da Agricultura para criação de novas escolas de Agronomia e Veterinária nas universidades dos estados de Minas Gerais, São Paulo, Guanabara, Rio de Janeiro e Espírito Santo; coordenador da Comissão Técnica de Zoopatologia do IPEACO; membro do Conselho de Pesquisa do “Programa Integrado de Pesquisas Agropecuárias do Estado de Minas Gerais”; membro da Comissão Científica da “Revista Agropecuária Brasileira”.

Em toda sua trajetória orientou mais de 30 alunos de mestrado e doutorado e publicou mais de 120 artigos científicos.

Recebeu o prêmio da EPAMIG de “Mérito Pesquisa em Minas Gerais” em 1985, e o título de professor emérito da UFMG em 1992.

José de Alencar Carneiro Viana

Nasceu em de junho de 1917, no município mineiro de Ubá. Graduado em Medicina Veterinária em 1939, pela Escola Superior de Agricultura e Veterinária do Estado de Minas Gerais, que funcionava em Viçosa, concluiu mestrado na Universidade de Iowa (EUA), e doutorado na UFMG.

Foi um dos fundadores e professor titular da Escola de Veterinária da UFMG. Foi secretário de Agricultura de Minas Gerais e presidente da Sociedade Brasileira de Zootecnia. Entre outras produções, publicou os livros “O Terceiro Mundo não é assim, está assim” (1999), e “Revolução cultural brasileira (2004)”.

Recebeu o título de professor emérito em 27 de Abril de 1992, durante as comemorações do 60 anos da Escola.

Ivan Barbosa Machado Sampaio

Graduou-se em Agronomia em 1966 na UFRRJ, Mestrado em 1970 na Iowa State University (EUA), Doutorado em 1988 na University of Reading (Inglaterra) e Pós-Doutorado na Universidad Politécnica de Madrid em 1993.

Conforme discurso em homenagem ao professor Ivan na data de outorga do seu título de emérito, em 2007, “a figura de educador do professor Ivan tem ainda múltiplas outras virtudes que o tornam uma pessoa admirada, respeitada e amada na  comunidade universitária. Como docente e pesquisador, soube fazer a intermediação do conhecimento com a construção da cidadania, ter atitudes e comportamentos irreparáveis, sempre flexível, receptivo e crítico como convém aos estatísticos com seu back ground. Inovador na arte e no ofício do ensino, o professor Ivan sempre foi detentor de comportamentos ético e cívico exemplares para todos os seus pares. Suas ações sempre marcadas por elevada dimensão técnica e, sobretudo, por rara sensibilidade humana”.

Recebeu o título de professor emérito da Escola de Veterinária da UFMG em 30 de março de 2007, durante as comemorações dos 75 anos da Escola.

Élvio Carlos Moreira

Graduou-se em Medicina Veterinária na Universidade Federal de Minas Gerais em 1964, onde ainda cursou o mestrado (1973) e doutorado (1994).


Ingressou na carreira do magistério como auxiliar de ensino, em 1967, para desempenhar funções na cadeira de Higiene e Saúde Pública, do Departamento de Medicina Veterinária Preventiva, foi professor de Epidemiologia, Bioestatística, Doenças bacterianas e a vírus, Saneamento, Planificação em Saúde Animal, Administração e Educação Sanitária, Zoonoses, Epidemiovigilância, e outros tópicos disciplinares que optava oferecer. Sua carreira de pesquisador, iniciada na área de Micologia, desenvolveu-se em sequência nas pesquisas temáticas de Saúde Animal e de Saúde Pública tornando-se referência nos estudos da epidemiologia da raiva animal, da anemia infecciosa equina, da febre aftosa, das leptospiroses e da leishmaniose visceral em cães.


Administrativamente foi Chefe do Departamento de Medicina Veterinária Preventiva (1980-82); Diretor da Escola de Veterinária (1982-1986); coordenador do Colegiado de Pós-Graduação por dois mandatos; Diretor do LANARA – Pedro Leopoldo-MG, além de idealizador proponente da Fundação de Estudos e Pesquisa em Medicina Veterinária e Zootecnia. Idealizou e trabalhou incansavelmente, também, na criação do curso de Pós-Graduação em Epidemiologia, sendo o primeiro curso no Brasil na área de Medicina Veterinária. Até se aposentar, em 2009, a atividade acadêmico-científica do professor Élvio deu origem a duas centenas de artigos e resumos científicos, a três capítulos de livros e a inúmeras divulgações informativas e educadoras. De forma entusiasta e compromissada, orientou em torno de uma centena de alunos de iniciação cientifica, mestres e doutores e, foi entusiasmado interlocutor científico na participação em bancas acadêmicas e na assessoria de apoio a pesquisa do CNPq, FAPESP, FAPEMIG e FINEP. Dedicou-se com especial carinho à formação e treinamento de profissionais de campo, por meio de cursos de educação continuada promovidas pela EV e em outras partes do Brasil. Foi paraninfo, homenageado diversas vezes pelos formandos em Veterinária e, recebeu homenagem da Escola de Veterinária e do Departamento de Medicina Veterinária Preventiva por sua grande contribuição ao ensino da veterinária e por ser um dos construtores de nossa Escola. Recebeu, ainda, os prêmios: Tecnologias Apropriadas em Saneamento do CNPq e OPS, Philip Marsden na U.F.T.Mineiro, Comenda Antônio Secundino de São José e a medalha de prata Santos Dumont do Governo do Estado de Minas Gerais. Responsabilizou-se com afinco na captação de recursos, onde demonstrou extraordinário espírito institucional.

(Texto adaptado da saudação proferida pelo Professor José Ailton da Silva, quando da entrega do título de professor emérito, em 2012)

Recebeu o título de professor emérito da UFMG na cerimônia de abertura das comemorações dos 80 anos da Escola de Veterinária em 30 de março de 2012.

Norberto Mario Rodriguez

Graduou-se em Bioquímica pela Universidad Nacional Del Sur, da Argentina, em 1967, tornou-se doutor em Fisiologia Animal na Purdue University em 1973, e fez seu pós-Doutorado na Universidade da Flórida (EUA), em, 1978. É atualmente professor titular aposentado da Universidade Federal de Minas Gerais.


Orientou 80 dissertações de Mestrado e teses de doutorado e mais de uma centena considerando co-orientações, bosisas de IC e pós-doutorandos. Publicou mais de 180 trabalhos completos em revistas científicas.


Durante os mais de 35 anos de atividade como professor do Departamento de Zootecnia da Escola de Veterinária da UFMG conseguiu, através de projetos de pesquisa e desenvolvimento, captar recursos de diversas origens que fortaleceu o ensino e a pesquisa da Escola. Coordenou o processo de criação do "Laboratório de Metabolismo e Calorimetria Animal", primeiro em seu tipo na América Latina, destinado a determinar exigências de energía líquida para mantença e produção, em diferentes condições de ambiência, em animais ruminantes e não ruminantes, por calorimetría indireta mediante o uso de cámaras respirométricas, como também o teor de energía líquida dos alimentos tropicais e eficiência de uso da energía metabolizável. Embora funcionando apenas desde junho de 2005, o laboratório foi uma verdadeira  "semente" já que instituições importantes de nosso país como Embrapa, Centro de gado de Leite, Universidade Federal de Viçosa e outras, bem como do exterior (México, Colombia, Argentina) percebendo a importância de um laboratório desse gênero, vêm procurando o Laboratório para obter informações técnicas que subsidiem a construção de seus própios laboratórios.

Recebeu o título de professor emérito da UFMG na cerimônia de abertura das comemorações dos 80 anos da Escola de Veterinária em 30 de março de 2012.

Rômulo Cerqueira Leite
Concluiu a graduação em 1970, pela Universidade Federal Fluminense. E, em 1973, fez a especialização na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Se tornou mestre em 1977, na área de Medicina Veterinária Preventiva e em 1983, em Reprodução Animal, também pela UFMG. Ganhou título de doutor em Ciências Veterinárias na área de Parasitologia, em 1989, pela Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ).
 
Em 1977, iniciou as atividades de docência na UFMG, onde foi Professor Titular do Departamento de Medicina Veterinária Preventiva (DMVP) de 1996 até 2013.
 
Durante os anos que passou na Escola de Veterinária, ministrou diversas disciplinas na graduação e na pós-graduação. Orientou mais de 50 alunos de Iniciação Científica, 38 alunos de mestrado e 30 de doutorado. Publicou mais de 200 artigos científicos em periódicos nacionais e internacionais. Foi chefe do DMVP e coordenador do colegiado de Pós-Graduação em Ciência Animal. Foi nomeado Membro Titular da Academia Brasileira de Medicina Veterinária e também Grau da Grã Cruz da Ordem do Mérito da Medicina Veterinária Brasileira.
 
Recebeu título de Professor Emérito da UFMG na abertura das comemorações dos 85 anos da Escola, em 9 de março de 2017. 
 

 

Vera Alvarenga Nunes
Concluiu o curso de Medicina Veterinária em 1967 pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Na mesma Universidade, fez especialização em Patologia Animal, no ano de 1974. E concluiu seu mestrado em 1976. 
 
Em 1977 deu início às atividades de docência na UFMG, como professora colaboradora do Departamento de Clínica e Cirurgia Veterinárias (DCCV). Já em 1995, veio a ser a primeira mulher professora titular da Escola. 
 
Graças à sua dedicação nas pesquisas sobre doenças ósseas, a instituição foi pioneira no ensino na área. Durante a carreira, contribuiu na formação de quase 2000 alunos, tendo orientado 51 deles. Foi coordenadora do Curso de Pós-Graduação em Ciência Animal, por oito anos. Muitas de suas ações foram determinantes para tornar o Hospital Veterinário o maior dentre o de todas as Instituições Federais de Ensino do país.
 
Recebeu título de Professora Emérita durante a abertura das comemorações dos 85 anos da Escola de Veterinária, em 9 de março de 2017. 
 

 


Nello de Moura Rangel

Francisco Megale

Homero Abílio Moreira

Leônidas Machado Magalhães

Osmane Hipólito

Roberto de Souza

Joaquim Martins Ferreira Neto

José de Alencar Carneiro Viana

Ivan Barbosa Machado Sampaio

Élvio Carlos Moreira

Norberto Mario Rodriguez

Rômulo Cerqueira Leite

Vera Alvarenga Nunes

Escola de Veterinária da UFMG
Av. Antônio Carlos 6627
Caixa Postal 567, campus Pampulha da UFMG
CEP: 31270-901. Belo Horizonte, MG
TELEFONE DA ESCOLA: +55 31 3409-2001
TELEFONE DO HOSPITAL VETERINÁRIO: +55 31 3409-2000 ou +55 31 3409-2276